"Toda a Paz do Universo"
SITE OFICIAL DE SÃO PEDRO DA SERRA DESDE 2002
 
 
 
 
PIADAS DE SÃO PEDRO (22)


Em um determinado dia, um motorista de kombi do chamado transporte alternativo e um padre morrem. Eles chegam às portas do céu no mesmo momento. São Pedro recebe os dois para a entrevista de rotina.

Ao motorista, São Pedro pergunta apenas o nome e fala:

Entra.

São Pedro olha para o padre e aponta a porta do inferno:

Por ali.

O padre não se conforma:

Peraí, São Pedro, isso não se faz. Por que o senhor quer me mandar para o inferno?

Enquanto você fazia o sermão, os fiéis cochilavam, mas com o rapaz ali era diferente: enquanto ele dirigia, todos rezavam.


No céu as acomodações são maravilhosas. Encantadores chalézinhos, cada qual com uma tabuleta acima da porta com um nome particular e sugestivo.

Três mulheres morrem em um acidente, e têm que passar por São Pedro, que pergunta para a primeira:

O que você fazia lá embaixo?

Eu era professora.

Secretário, dê a chave da "Sabedoria" a ela! Disse São Pedro e perguntou à segunda:

E você?

Eu era advogada. Respondeu.

Secretário, dê a chave da "Justiça" a ela!

E você? perguntou à terceira.

A gostosona responde:

Eu era garota-de-programa. Respondeu.

Secretário, disfarça e lhe dê a chave do "Love Peter`s Cloud"!


Naquele dia a porta do céu estava um tumulto só. Por incrível que possa parecer, a maioria era homem. São Pedro, diante do tumulto resolveu criar duas filas para facilitar o cadastro dos candidatos.

Muito bem, pessoal grita São Pedro "Os "machões", que sempre dominaram suas mulheres, façam fila do lado esquerdo, e os "mansos" que sempre foram dominados por suas mulheres façam fila à direita.

Depois de muita bagunça, finalmente as filas foram formadas. A fila dos homens dominados por suas mulheres perdia de vista; a fila dos homens que dominavam suas mulheres tinha apenas um fulano.

São Pedro exclama:

Vocês deveriam ter vergonha! Deus criou vocês a Sua imagem e vocês se deixaram dominar por suas mulheres. Apenas um de vocês honrou o nome e deixou Deus orgulhoso de Sua criação. Aprendam com ele!

Então, virando-se para o homem solitário, São Pedro diz:

Conte aos outros como você fez para ser o único nesta fila!

E o homem respondeu:

Eu não sei ! Foi minha mulher que me mandou ficar aqui!
explica o homem.

Juquinha estava em cima de uma árvore vendo a vizinha tomar banho quando, muito excitado, despencou lá de cima. Bateu com a cabeça muito forte no chão e morreu.

Quando ele abriu os olhos novamente estava em frente da porta do céu. Lá estava São Pedro, todo de branco com suas longas barbas. Juquinha, que era muito esperto, pensou:

Deve ter havido algum engano. Sei que aprontei muito lá em baixo. São Pedro não vai deixar eu entrar no céu. Preciso aprontar mais alguma!

Aí ele foi se encostando no muro e bem disfarçadamente foi se dirigindo ao portão. Quando lá chegou deu um pulo rápido para dentro. Quando São Pedro percebeu ele imediatamente pulou para fora. Ficou então repetindo essa manobra por um longo tempo até que São Pedro resolveu dar a bronca:

E aí moleque? Vai continuar enchendo o meu saco? Ou sai ou entra de vez!.

Aí Juquinha entrou rapidinho e sumiu!

Uma mulher chega no portão do céu. Muito confusa ela se dirige a São Pedro e pergunta como faz para entrar.

É simples! Vou falar um nome. Se você soletrar certo da primeira vez, entra. Se errar, vai para o inferno. O nome é Amor. Disse São Pedro.

Claro que ela acertou e entrou no céu. Um ano depois, São Pedro lhe pediu que vigiasse os portões, pois precisava falar com Deus. Para surpresa dela, o marido aparece e ela quiz saber o que tinha se passado desde a sua morte.

Ah, casei com aquela gostosa enfermeira que cuidou de você. Disse o marido.

Ganhei na loteria esportiva. Com toda aquela grana compramos uma mansão e viajamos pelo mundo. Continuou o marido.

Ontem, estava nos Alpes Suiços e fui esquiar. Sofri um grave acidente e aqui estou. Como faço para entrar? Perguntou o finado.

A mulher disse então que era simples e repetiu o que São Pedro tinha falado para ela..

Ótimo! e qual é o nome que tenho que soletrar? pergunta o pobre muito confiante.

Schwarzenegger! disse a esposa com um ar de sacana vitoriosa.

Michael Jackson morreu e foi parar na porta do céu.

Chegando lá, deu de cara com São Pedro que, muito atencioso, foi dizendo:

Olá, Michael! Tudo bem?

O Popstar não tinha a menor idéia do que estava acontecendo e perguntou:

O que está acontecendo comigo?

Você morreu, está aqui na porta do céu e eu sou São Pedro. Quer saber mais alguma coisa?"

Quero, São Pedro!

Então pergunte! Disse São Pedro.

O senhor sabe onde eu posso encontrar o menino Jesus?

Logo depois que o Ayrton Senna morreu, ele que era um cara muito bom, chegou nas portas do céu. São Pedro o recebeu puxando um papo.

Pois é, Ayrton. Sei que você era piloto de F1, corria muito, mas aqui a coisa é diferente. No máximo você pode chegar a 80 km/h, senão será expulso do céu. Avisou São Pedro.

Como bem comportado que era, o ex-piloto resolveu curtir sua vida eterna numa boa, dirigindo comportadamente seu carro, sem passar de 80 km/h.

Naquela tarde, de repente, passa por ele um figura muito doida, dirigindo um carrão a quase 200 por hora. O Ayrton estranha, mas fica quieto. No dia seguinte a mesma coisa, o cara passa voando, com som alto, cantando pneu na curvas. Muito pau da vida por ter que andar devagar, o Ayrton vai até São Pedro e pergunta:

Pô ! Você me disse que eu não podia passar de 80, mas todo dia vejo um doido correndo a quase 200 e ninguém faz nada.

... pera aí. O cara era barbudinho assim, cabelo comprido, dirigindo uma Ferrari vermelha? Perguntou São Pedro.

Esse mesmo! Disse Ayrton.

Mas ele pode. É o filho do Homem!

Irmã Madalena tinha acabado de morrer. Por engano, ela foi parar no Inferno ao invés de ir para o céu.

Ela vai até o guichê de reclamações onde a autorizam a ligar para São Pedro.

Alô, São Pedro? Aqui é Irmã Madalena! São Pedro, creio que aconteceu um erro lamentável! Estou aqui no Inferno, e eu nunca pequei na minha vida...

A freirinha continua a explicar a situação e acaba por convencer São Pedro que houve um erro. São Pedro garante que vai resolver o problema em 24 horas.

No dia seguinte, a situação não evoluiu nada. A pobre Irmã Madalena pede para ligar novamente. Com a voz cheia de preocupações, ela diz a São Pedro:

Por favor, São Pedro, venha me pegar hoje mesmo. Marcaram uma orgia para hoje à noite e todo mundo tem que participar...

São Pedro a tranquiliza:

Não se preocupe, Irmã Madalena. Mandarei alguém pegá-la ainda hoje . Prometo.

Mas como as portas do céu estavam com um movimento muito grande naquele dia, São Pedro acabou se esquecendo da Irmã Madalena.

No dia seguinte ele recebe uma nova chamada do Inferno. São Pedro tira o fone do gancho, já pressentindo que vai levar aquela bronca, e escuta:

Alô? Pedrinho? Aqui é a Madá. Só para te avisar... Esquece aquele negócio de mandar alguém me buscar, tá?

O sujeito morre tragicamente e, chegando na porta do céu, São Pedro começa o interrogatório:

Do que você morreu, meu filho?

Ah, São Pedro... Foi por causa da enchente!

Enquanto o recém-chegado contava como foi sua morte, um outro cidadão do céu interrompeu:

Enchente! Deve ter sido uma chuvinha bem mixuruca!

- Não! Foi enchente mesmo - disse o novo hóspede, indignado. - A cidade toda ficou debaixo d'água!

O quê?! Você não sabe o que é uma chuva de verdade!

Como não? Perdemos o carro, a casa e até algumas vidas por causa da enchente!

Deixa de ser frouxo, rapaz. Chuvinha de n-a-d-a...

O sujeito estava ficando muito nervoso, até que São Pedro não se conteve e interviu:

Noé, deixa o cara contar a história dele em paz!

Um casal que iria se casar morreu num acidente de carro um dia antes do casamento. Quando chegaram a São Pedro, eles perguntaram:

São Pedro, nós realmente gostaríamos estar casados aqui no céu.

São Pedro respondeu:

Por que vocês não esperam alguns anos para ter certeza de que realmente gostariam de estar juntos para sempre.

Tudo bem respondeu o casal. Então eles esperaram.

Cem anos depois, eles voltaram a perguntar a São Pedro.

E Pedro respondeu novamente para esperarem.

Então outra vez esperaram.

Mais cem anos passaram, e eles perguntaram novamente.

Finalmente, São Pedro disse:

Claro, por que não?

Então eles tiveram uma grande festa de casamento.

Uns 8 anos depois, eles chegaram a São Pedro e pediram para divorciarem-se.

São Pedro respondeu:

Esperem um minuto, levei duzentos anos para conseguir trazer um pastor aqui no céu. Como vocês acham que eu vou conseguir trazer um advogado para cá???


Eram dois amigos. Um ia cumprido a lei de Deus e o outro era um libertino, mas eram muito amigos. Calhou morrerem em um mesmo acidente de carro. O que era libertino, não podia entrar no reino de Deus. Já há muitos anos que não se confessava e estava muito aflito. Então o outro disse:

— Não se preocupe. Quando eu entrar, você entra. Eu vou montado a cavalo em você.

Apareceu São Pedro e perguntou:

— Quem é?

— Sou eu a cavalo no burro.

São Pedro respondeu:

— Prende o burro naquela árvore em frente ao portão e entre.


Um magnata do petróleo apresenta-se a São Pedro e pede-lhe entrada no Céu.


— Estamos com um problema — diz São Pedro, — pelo seu currículo está tudo tranquilo, mas a questão é que
eu não tenho uma única vaga para magnatas do petróleo…

— Mas isso é uma injustiça!

— Só se… — pensa São Pedro — já sei! Podíamos convencer um dos outros a sair!

— E como?

— Sei lá, homem! Veja se consegue ter uma ideia!

— Já descobri! E não pode falhar!

— Explique isso melhor! — pede São Pedro.

— Vamos lançar o boato de que foi descoberto petróleo no Inferno: é certo e sabido que um deles vai querer ir para lá!

O boato é espalhado e os dois esperam algum tempo para ver se a coisa tem o efeito esperado. A certa altura, ouve-se uma correria e uma quantidade de magnatas do petróleo atravessa as portas do Céu, uns troupeçando nos outros. Nisso, São Pedro vê, com a maior surpresa, o magnata que teve a idéia juntar-se aos outros.

— Mas onde você vai?
pergunda São Pedro.

— Vou só dar uma olhada, sabe-se lá…


Um dia em que São Pedro estava no portão do Céu e sentia um enorme cançasso. Jesus passava por ali e vendo o seu estado disse:

— Pedro, vai descansar um bocadinho, que eu fico aqui te substituindo.

São Pedro ainda resistiu, mas acabou por aceitar a generosa oferta de Jesus.

Com o passar do tempo Jesus ficou farto de esperar, quando apareceu finalmente o primeiro freguês, um velhote que subiu com dificuldade até às portas do Céu.

— Quem é você? — perguntou Jesus com bondade. — E que fizeste para mereceres o Céu?

— Pouco… — respondeu o velho. — Eu era apenas um simples carpinteiro, mas fui pai de um filho muito invulgar…

— Que filho foi esse?

— Um rapaz que nasceu de uma forma muito fora do comum, como mais ninguém nascera ou voltou a nascer depois dele, e mais tarde ainda passou por uma grande transformação. Seja como for, tornou-se conhecido em todo o mundo e ainda hoje é amado por muitos e muitos homens.

Jesus aproximou-se do homem e abraçou-o comovidamente:

— José, meu pai! — pronunciou baixinho, com lágrimas nos olhos.

O homem respondeu ao seu abraço, mas recuou surpreendido, olhou-o durante longos momentos e finalmente exclamou:

— Pinóquio!


Um homem muito friorento morre. Como teve uma vida exemplar, vai diretamente para o Paraíso. Ao fim de algum tempo diz a São Pedro:

— Está muito frio aqui. Não existe um local mais quente?

São Pedro manda-o para o Purgatório. Pouco depois, ele volta:

— Faz muito frio no Purgatório. Não há nada mais quente?

— Só o Inferno — diz São Pedro —, mas aquilo é terrível.

— Não interessa, vou tentar.

Passam três meses e não houve notícias do homem. Um pouco inquieto com o que teria acontecido, São Pedro decide ir o Diabo para perguntar o que aconteceu ao friorento.

— Está ali — diz o Diabo, abrindo a porta do Inferno.

No meio das chamas, São Pedro vê ao fundo uma silhueta toda encolhida. É o homem, que grita:

— Fechem a porta, porra!


Logo que morre, um famoso político chega ao paraíso e é recepcionado por São Pedro, que estranha o fato e lhe diz:

— Bem, como raramente vemos parlamentares por aqui, não sabemos bem o que fazer com você.

— Não vejo problema, é só me deixar entrar — diz o antigo senador.

— Eu bem que gostaria, mas tenho ordens superiores para não permitir isso. Vamos fazer o seguinte: você passa um dia no Inferno e um dia no Paraíso. Aí, pode escolher onde quer passar a eternidade.

Assim, São Pedro o acompanha até o elevador, que desce, desce, desce até o Inferno.

A porta abre e ele se vê no meio de um lindo campo de golfe, onde seus amigos e outros políticos, todos muito felizes e em traje social, o cumprimentam calorosamente.

Eles jogam uma partida descontraída e depois comem lagosta e caviar, falando sobre os bons tempos em que ficaram ricos à custa do povo.

Quem também está presente é o diabo, um cara muito amigável que passa o tempo todo dançando e contando piadas. No final do dia, nosso nobre parlamentar sobe para conhecer o Paraíso.

Depois de passar 24 horas junto a um grupo de almas
contentes que andam de nuvem em nuvem, tocando harpas e cantando, São Pedro retorna a ele e pergunta:

— E então, qual lugar você escolheu para sua morada eterna?

Depois de pensar por alguns segundos, o político responde, decidido:

— Olha, o Paraíso é muito bom, mas eu acho que vou ficar melhor no Inferno.

São Pedro então o leva de volta ao elevador, que desce, desce, desce até o Inferno.

A porta abre e ele se vê em um cenário horrível, no meio de um enorme terreno baldio cheio de lixo.

Ele vê todos os amigos com as roupas rasgadas e sujas, pegando o entulho e colocando em sacos pretos.

O diabo vai ao seu encontro e passa o braço pelo ombro do senador.

— Não estou entendendo... — gagueja o senador — Ontem mesmo eu estive aqui e havia um campo de golfe, lagosta, caviar, e nós dançamos e nos divertimos o tempo todo. Agora só vejo esse fim de mundo cheio de lixo e meus amigos arrasados!

O diabo olha pra ele, sorri ironicamente e diz:

— Ontem estávamos em campanha. Agora já conseguimos o seu voto...



Um dia, um certo homem que durante toda a sua vida só tinha praticado o bem
morre e vai para o céu.

Ao chegar á porta do Céu encontra São Pedro que lhe faz algumas perguntas para preencher a ficha de entrada. Enquanto decorre esta operação, ouvem-se gritos vindos do lado de dentro do Céu.

O que é isto? pergunta o homem.

Estamos fazendo uns buracos nas costas de um homem que morreu para lhe pôr
as asas de anjo.
respondeu São Pedro.

O preenchimento da ficha continuou e tornou-se a ouvir gritos.

O que é isto? pergunta novamente o homem.

Estamos a fazer um buraco na cabeça de um homem que morreu para lhe pôr uma
aureola
respondeu São Pedro.

Então o homem pensa durante alguns segundos e diz para São Pedro:

Olhe, desisto de ir para o Céu e vou antes para o inferno!

São Pedro fica surpreso e responde:

Se você for para o inferno, eles lá vão usar o seu ânus.

Responde então o homem:

Não me importo, pelo menos já tenho o buraco feito.


Chegou, na porta do céu, um homem vestido de terno branco, todo engomado e São Pedro perguntou:

Pois não, quem é você?

O negão respondeu:

Leonardo di Caprio.

Sao Pedro olhou bem para ele, consultou a lista dos contemplados para entrar no céu, virou para o negão e disse:

Dá para você repetir o nome, por favor?

O negão, todo empertigado respondeu:

Leonardo di Caprio.

São Pedro pediu licenca e foi consultar seu chefe.

Chegou e bateu na porta dos aposentos de Deus:

Senhor, tenho um probleminha.

Ao que Deus respondeu:

Diga Pedro, qual é a sua dúvida.

São Pedro disse:

Só para confirmar, o Titanic afundou ou pegou fogo?

O italiano morreu e, tendo sido homem muito decente, foi direto para o céu. Pegou sua harpa e ficou tocando e cantando na sua nuvem, durante séculos. Um dia, achando tudo muito chato, pediu a São Pedro para sair e dar uma voltinha.

São Pedro deixou, e ele, vendo lá fora uma porta com a inscrição "Inferno", entrou.

Foi recebido com a maior consideração por Satanás, que sorrindo muito, levou-o a uma bela alameda onde serviam vinhos das melhores procedências, queijos finos e outras iguarias, e onde ele foi amado até a exaustão por belíssimas louras, morenas e mulatas.

O italiano voltou direto a São Pedro, pedindo para ficar para sempre no inferno.

Você tem certeza do que quer? Olha que é uma ida sem volta, hein? disse-lhe São Pedro.

Mas o homem não tinha a menor dúvida, e assinou todos os papéis necessários para ir para o inferno.

Satanás recebeu-o com um sorriso diabólico, meteu-lhe um tridente nas carnes e jogou-o numa ruela fétida, onde só se sentia cheiro de enxofre e se ouviam choros e ranger de dentes.

Mas por que é tudo diferente agora? Perguntou o bom italiano.

E o Diabo explicou:

Porque da outra vez você veio como turista, e agora é como imigrante!


Bill Gates morreu num acidente de carro, e quando se deu conta estava no purgatório.

São Pedro veio ao seu encontro e falou:

Bill, eu estou realmente confuso quanto ao seu caso: não sei se mando você para o céu ou para o inferno. Afinal, você ajudou bastante a sociedade, difundindo o computador no mundo inteiro e criou o tal do Windows, então no seu caso vou abrir uma exceção. Vou deixar você decidir para onde quer ir."

Bill respondeu:

Obrigado,
São Pedro, mas qual a diferença entre os dois?

São Pedro falou :

Eu permitirei que voce dê uma olhada em cada um, para que depois faça sua escolha. Qual você quer ver primeiro?

E Bill escolheu o inferno e ao chegar, viu um lugar lindo, limpo, uma grande praia com mulheres bonitas por todo lado; a temperatura era perfeita e tudo parecia em harmonia.

Bill falou:

São Pedro, se o inferno é assim, eu realmente gostaria de ver o céu. E se dirigiram ao céu.

Chegando acima das nuvens, Bill encontrou um lugar muito tranquilo: harpas tocando , anjos calmamente passeando, uma paz exemplar. Virou pra
São Pedro e falou :

Bom, acho que prefiro o inferno, lá parece mais interessante.

Que seja feita vossa vontade... Disse
São Pedro, e num piscar de olhos Bill Gates foi mandado ao inferno.

Duas semanas depois,
São Pedro resolve olhar como o milionário estava passando no inferno. Quando chegou lá, encontrou Bill encurralado por chamas e lava quente numa caverna, com demônios ao seu redor o torturando e queimando.

Ao ver
São Pedro, Bill gritou desesperado:

São Pedro, isso aqui é horrível, eu nao aguento mais ! Deve haver algum engano, onde está aquele lugar maravilhoso, com praias e mulheres lindas que eu vi ?

São Pedro explicou:

Ah, era só o protetor de tela!

O patrão chama o seu empregado e manda que ele vá até o bazar do turco no centro da cidade para comprar um quadro de São Jorge, pois ele era muito devoto dele e queria colocar esse quadro em seu comércio.

Chegando lá, o empregado olha em todos os cantos da loja e não vê quadro algum de São Jorge. O turco, então, o aborda e diz:

O que você procura, rapaz?

Um quadro de São Jorge.

O turco não tinha o de São Jorge, e para não perder o negócio, resolveu dar um jeito e empurrar o de São Pedro para o incauto e inexperiente rapaz. Mas o rapaz não caiu na conversa e falou:

Não, seu Habib, o meu patrão mandou comprar de São Jorge!

Esta ser de São Jorge! insistiu o turco, mostrando o quadro de São Pedro.

– Não, não é São Jorge, eu conheço o São Jorge. Cadê o cavalo?

São Jorge agora é moderno, não anda mais de cavalo! Ele vende o cavalo e compra automove! Olha ele com o chave do carro na mão!


A Maria escreveu uma carta a Joãozinho, só que este não sabia ler. Pediu para a professora que lesse para ele. A professora leu, e mandou Joãozinho para a diretoria.

O que foi Joãozinho? Diz a diretora.

Você é um menino tão bom, o que está fazendo aqui?

É que a Maria me escreveu um bilhete e eu não sei ler. Aí eu pedi pra professora ler, e quando ela leu ela me mandou para cá.

A diretora leu o bilhete e expulsou Joãozinho da escola.

Joãozinho chegou em casa, e quando encontrou sua mãe, ela perguntou o que ele estava fazendo em casa cedo.

É que a Mariazinha, me mandou um bilhete, e como eu não sei ler, pedi para a professora ler para mim, aí ela me mandou pra diretoria, a directora leu o bilhete e me mandou para casa. Lê pra mim?

A mãe leu, e expulsou Joãozinho de casa.

Joãozinho encontrou o guarda José na rua, e ele perguntou:

O que foi Joãozinho, você que é um menino tão pequeno, o que está fazendo na rua?

É que a Maria me mandou um bilhete, e eu pedi para a professora ler, aí ela me mandou pra diretoria,aí a diretora leu e me expulsou da escola. Quando eu cheguei em casa, a mamãe leu e me expulsou. Lê pra mim?

O guarda leu e mandou Joãozinho pra cadeira eléctrica.

Joãozinho foi executado e morreu.

Quando chegou ao céu, foi recebido por São Pedro.

Joãozinho! O que você está fazendo aqui. Ainda não era a sua hora!

É que a Maria me mandou um bilhete, e como eu não sei ler, pedi para a professora. A Professora me mandou pra diretoria, a diretora me expulsou da escola, a mamãe me expulsou de casa, o guarda José mandou me matar, e agora eu estou aqui. Lê pra mim?

São Pedro leu e o mandou pro inferno.

O diabo leu o bilhete e o rasgou.

Alguém que estava no inferno e viu a cena, perguntou:

Mas, e o que estava escrito no bilhete?

Não sei, o Diabo rasgou! respondeu o Joãozinho.


Essa piada se passa muitos anos no futuro. O carequinha do mensalão já havia falecido. Então foi a vez da Renilda, Mulher dele, bater às portas do Céu. Enquanto estava em frente a São Pedro nos Portões Celestiais, ela viu uma enorme parede com relógios atrás dele.

Ela perguntou:

Que são todos aqueles relógios?

São Pedro respondeu:

São Relógios de Mentira. Todo mundo na Terra tem um Relógio de Mentira. A cada vez que você mente, os ponteiros de seu relógio se movem.

Oh! disse ela
De quem é aquele relógio ali?

É o de Madre Teresa. Os ponteiros nunca se moveram, indicando que ela nunca mentiu.

E aquele, é de quem?

É o de Abraão Lincoln. Os ponteiros só se moveram duas vezes, indicando que ele só mentiu duas vezes em toda a sua vida.

Renilda perguntou, curiosa:

E cadê o Relógio do meu marido?

Ah! O do Marcos Valério está na minha sala. Estou usando-o como ventilador de teto!

POUSADAS
Correção tel: 99944-7674
Correção tels: 99965-0745 / 99965-6584
Correção tels: 99770-0584/99676-9801
Correção tel: 99933-1604
Correção tel: 99971-5962
Tel. corrigido: (22) 99282-5645
Tel. corrigido: (22) 99900-6260
 
CASAS PARA TEMPORADA,
FINS DE SEMANA E FERIADO.
 
 
Copyright© 2002-2016 Carlos Paiva. Todos os direitos reservados.